lunes, 20 de julio de 2009

Alma Cigana



Sou da mata a sombra verde que caminha, sou linha.
Sou ave de asas abertas voando ao léu, sou dona do céu.
Sou tempo fulgente que o passado não sente, sou presente.
Sou o caso do acaso enlaçando os enredos, sou segredo.
Sou desvairada cobiça do ouro que inflama, sou trama.
Sou a nota da música que forma o canto, sou pranto.
Sou do Sendero a flecha certeira que brilha, sou trilha.
Sou saudade que a nostalgia alcança, sou lembrança.
Sou parte central do fulgor da paixão, sou coração.
Sou o traço decisivo que sulca a palma, sou alma.
Sou lume distante que busca o horizonte, sou fonte.
Sou fervor de mãos postas em contrição, sou oração.
Sou visão que permeia o delírio lento, sou pensamento.
Sou o gosto mais doce que fica no beijo, sou desejo.
Sou fiel guardiã das emoções que sinto, sou instinto.
Sou dano e ganho entre tudo e nada, sou bruxa e fada.
Sou na tarde silente o tanger triste do sino, sou destino. Sou reticências dos versos que componho, sou sonho.
Sou harmonia da palavra rimando com flor,
sou amor.
Sou cigana,
magia ancestral assumida,
Sou vida...


Lady Foppa


Adorei esse poema e por isso quero compartir...

Espero que vcs gostem

Feliz dia da AMIZADE!!!!

2 comentarios:

glauce soares e meu filho Gustavo dijo...

ACHEI SIMPLISMENTE LINDA DEMAIS, ADORO TUDO QUE FALA SOBRE RESPEITO DE CIGANO, OBRIGADO PELA VISITA, BJS

Belkis dijo...

Te lo completo con un trozo de otro poema "Tienes el alma gitana, tienes voz de terciopelo, por tener tienes de todo, todo lo que yo deseo. Tus ojos parecen mares
con el fondo limpio y bello
cuando me miro en ellos
te leo el alma y sentimientos..."
Hermosísimo. Mucho cariño para ti